São chamados fósseis-vivos as espécies que tem mesma estrutura que seus fósseis encontrados a milhões de anos atrás, o que quer dizer que não sofreram nenhuma mutação que seja. E, além disso, essas espécies não tem nenhum parente ou antecedente conhecido.

É importante saber também que essas espécies sobreviveram a adversidades tremendas e eventos catastróficos do meio-ambiente, e, por isso, ganharam o título de fósseis-vivos. Não há como ver um organismo atravessar tanta coisa sem mutar e não se impressionar. Boa leitura.

linha

1- Tubarão-cobra (Chlamydoselachus anguineus)


tubaraocobra1


Porra é essa?

- Essa espécie horrenda pois a primeira nadadeira defeituosa na água há 80 milhões de anos atrás. E desde lá não pára de aterrorizar pequenos peixes do fundo do mar.

- Ele vive em profundidades que vão de 600 a 1500 metros, onde não há luz e a pressão é enorme, sendo que um mergulhador profissional (sem equipamentos especiais) chega a no máximo 200 metros.

tubaraocobra2

- Seus dentes são em formato de tridentes pequenos e finos, mas extremamente afiados. Apesar de sua aparência de corcunda-de-notre-dame depois de uma surra, ele consegue se dar bem na caça em águas profundas.

- Pensava-se que esse tubarão estava extinto até 2007. O que me faz pensar que se uma espécie de 80 milhões de anos estava “escondida” por aí, o que mais não vai sair lá do fundo do mar? Medo.

tubaraocobra4

Curiosidade:

Em um raro acontecimento, alguns mergulhadores japoneses acharam um Tubarão-cobra em águas rasas, provavelmente em busca de alimento, o que não foi uma boa idéia.

tubaraocobra5

Por causa da temperatura muito mais alta e da baixa pressão da água, o tubarão morreu horas depois de ser encontrado. O tubarão pré-histórico parece ter saído diretamente de um filme de terror de baixo orçamento, porque do jeito que ele se movimenta parece uma produção mal feita. Veja o registro:

2- Panda vermelho (Ailurus fulgens)


panda1


Porra é essa?

- Esse mini-ursinho (veja quão diminuto é esse adjetivo) de 1,20cm e seus parentes andam pela Terra há 25 milhões de anos.

- Ele é o único representante da subfamília Ailurinae da família dos guaxinins, apesar de ser associado com a familia dos ursos e pandas gigantes.

panda2

- Seu estômago é simples e sem ceco, característica dos carnívoros, mas ele se alimenta de folhas, raízes, frutos e até insetos. Se ele já foi carnívoro, é um mistério.

- A população desses animais é de 2,500 indivíduos maduros. Apesar disso aldeões chineses ainda usam sua pele para fazer roupas, o que não ajuda muito na preservação da espécie.

panda5

Curiosidade:

Esse simpático Panda também é conhecido nos EUA como “Fire Fox”.

panda3

Se você viu a foto e lembrou do logo do navegador “Mozilla Firefox”, acertou em cheio. A “raposa” no logo do navegador é homenagem a esse animalzinho dorminhoco que chega a tirar cochilos de até 15 horas.

3- Límulo (Limulus polyphemus)


crab1


Porra é essa?

- É o representante do mais antigo grupo animal que habita a terra, os Merostomata, que surgiram de 200 a 300 milhões de anos atrás, antes até que os dinossauros. Ele não tem qualquer relação com a Dercy Gonçalves.

- O límulo tem o sangue azul devido a alta concentração de hemocianina cuprosa ao invés de hemoglobina ferrosa, como nós humanos.

crab4

- Apesar de também ser chamado de “carangueijo-ferradura”, essa espécie está mais próxima das aranhas e dos escorpiões do que dos carangueijos.

- Eles tem a habilidade de regenerar seus membros perdidos, assim como as estrelas-do-mar fazem.

- Eles podem chegar até 51cm e se parecem realmente com ferraduras de cavalos quando vistos de cima.

crab3

Curiosidade:

Esses animais anciões são extremamente valiosos para a ciência. Desde de 1964, uma substância no sangue do Límulo chamada LAL (Limulus Amebocyte Lysate, em inglês) vem sendo testada na cura de várias doenças causadas por bactérias.

crab5

A vida de um único Límulo para extração de sangue periódicas pode valer até 2.500 dólares. Sabia que tinha dinheiro envolvido pra bicho viver tanto.

4- Rã Roxa (Nasikabatrachus sahyadrensis)


raroxa1


Porra é essa?

- É uma espécie descoberta em 2003 e, depois de estudos, foi comprovado que anda por aí faz mais de 100 milhões de anos. Não é que acharam que ele estava extinto, ele realmente foi descoberto em 2003.

- A rã tem uma cor roxa clara quando pequeno e roxa escura quando adulto. Cor super normal, viu, fácil de deixar escapar. Acho que esse foi o jeito do sapo dizer: “Ei estou aqui, olhe pra mim, sou roxo!”

raroxa3

- A razão da existência dessa rã ter escapado dos olhos dos biólogos é bem simples: ela vive no subsolo e só emerge para acasalar. Pense duas vezes antes de fazer uma piscina na sua casa, você não vai querer achar uma criatura pré-histórica no seu jardim.

- O som que ele emite é como o som de uma galinha. Bem (…pausa…), aparentemente ele faz “co-có”, o que é bem estranho. Mas você pode comprovar no vídeo abaixo.

raroxa4

Curiosidade:

Em 2003, na ocasião da descoberta do sapo do narizinho, biólogos do mundo inteiro tiveram um orgasmo coletivo. Pelo menos os que estudam anuros. Veja a pequena rã gelatinosa, não parece uma Geleca (alguns podem conhecer como amoeba)?

raroxa5

Através de estudos e analises de DNA, puderam saber mais sobre a evolução dos sapos/rãs dos dias de hoje. Será que o elo perdido do homem está no subsolo também? E se ele for roxo?

5- Bicho-pau da Ilha Lord Howe (Dryococelus australis)


bichopau1

Porra é essa?

- Ele é considerado o inseto mais raro do mundo e coexistiu com os dinossauros no período jurássico, cerca de 200 milhões de anos atrás. Ele é de uma ilha da Austrália, o que não é surpresa uma aberração vir de lá.

- Ele tem um comportamento totalmente diferente para um inseto: machos e fêmeas vivem juntos, sendo que o macho segue a fêmea em todas suas atividades, e eles até dormem juntos. Muito fofo e tal, mas eu não confio em insetos monogâmicos.

bichopau2

- Ele pode atingir até 15cm de comprimento e 1,5cm de largura, que é um tamanho muito perturbador para um inseto.

- Quando pequeno ele é verde e ativo durante o dia, mas quando adulto ele fica preto e tem hábito noturno. E é aí que o perigo mora.

bichopau4

Curiosidade:

O Bicho-pau da ilha Howe era considerado extinto até 1930 por causa da introdução de ratos no local, mas reapareceram milagrosamente em 2001 em outra ilha lá por perto.

bichopau3

Na ocasião a população era de apenas 20-30 indivíduos adultos dessa espécie, mas depois que ambientalistas reproduziram o inseto em cativeiro, a população total chegou a cerca de 450 indivíduos, e estão sendo aos poucos reintroduzidos na Ilha Howe.

6- Lula-vampira (Vampyroteuthis infernalis)


lula1

Porra é essa?

- O nome científico parece uma brincadeira de mal gosto, pra que dar o nome de “Vampire squid from hell” (Lula vampira do inferno) a algum bicho? Pois essa merece: ela tem tentáculos pretos e espalmados que lembra a capa do Drácula, e olhos azuis.

- Ela mora juntinho do tubarão-cobra (primeiro da lista): lá no fundo do oceano. E que os dois permaneçam lá, constituam família, e morram velhinhos assustando toda a vida marítma do oceano.

lula3

- Por causa de seus filamentos sensoriais retráteis, elas ganharam sua própria ordem: Vampyromorphida.

- Dividem similaridades com as lulas e com polvos, apesar de não ser nem um, nem outro.

lula5

Curiosidade:

Ela não consegue mudar de cor como a lula e o polvo, mas sabe fazer algo muito mais legal. É uma habilidade única para animais marítmos chamada bioluminescência, que é basicamente a habilidade de produzir luz.

lula4

Mas ela não só brilha (como faz por exemplo o vagalume), ela tem controle total sobre todo o corpo, por ter filamentos em toda sua extensão, e consegue até aumentar ou diminuir a intensidade da luz. Essa habilidade pode confundir seu predador ou hipnotizar sua presa.

Veja também As 8 criaturas que não deveriam ser gigantes.